Celso e Gabriela Freire abrem as portas do Espaço Gastronômico no Juvevê

Numa edição em que falamos da importância de nos conectarmos com os espaços em que vivemos, nada melhor que esse bate-papo com os chefs Celso Freire e Gabriela Freire. Pai e filha dividem a cozinha do Espaço Gastronômico que recebe alguns dos eventos mais exclusivos da cidade. E o melhor, fica a poucos passos das casas deles.

VOCÊS PASSAM MUITO TEMPO AQUI?
GF – A gente passa praticamente o dia todo aqui, com evento ou não, a gente acorda e vem para cá, então realmente é uma extensão da nossa casa mesmo.
CF – Eu particularmente nunca consegui trabalhar em casa, eu sou horrível para isso, eu preciso sair de casa. É aqui do lado, abro o portão, desço a escada e estou
trabalhando. Como eu vivi uma vida de 28 anos saindo de manhã, quando a mulher e as filhas estavam dormindo e voltando só a noite quando elas estavam dormindo, hoje eu não consigo trabalhar dentro de casa. Somos abençoados por estar aqui.

HOJE O TRABALHO DE VOCÊS SE DIVIDE ENTRE OS EVENTOS E CURSOS?
Basicamente isso. Algumas consultorias às vezes, mas a gente tenta se dedicar o máximo possível para estar aqui. Agora, com o retorno dos eventos a gente vai intercalando cursos durante a semana, a maioria dos eventos são no final de semana, então a gente consegue fazer as duas coisas. Os cursos por enquanto
são presenciais mas estamos trabalhando também na ideia dos cursos online, um projeto que está bem avançado mas ainda não foi lançado.


COMO ESSE PROJETO COMEÇOU?
GF – Fazem 8 anos. Foi um conjunto de coisas na verdade. O terreno que a gente mora aqui também é uma chácara da minha bisavó. Tem galinheiro, horta e aqui tinham duas casinhas de madeira com mais de 50 anos.
CF – A gente precisava viver um pouco a família. Viver um pouco a vida. Porque o restaurante é espetacular, mas no dia a dia é uma loucura, você não tem outra vida. O espaço é uma delícia e a gente consegue com os eventos ter qualidade de vida. Hoje a gente tem essa possibilidade de dar 10 passos, abrir o portão e descer. O Espaço é lindo, e a Cris tem uma importância absurda nisso, na ambientação do espaço, isso aqui é uma casa, uma cozinha, um lugar que está preparado para
todos os eventos.

COMO SÃO VOCÊS EM CASA?
GF – Nós gostamos muito de receber as pessoas, aqui sempre está cheio de gente.
CF – E como o bairro oferece tudo o que a gente precisa, o melhor é poder curtir a casa. A gente chama os amigos para vir para esse bairro, que é maravilhoso. A gente tem um espaço privilegiado dentro do Juvevê. A nossa casa, é aqui que tudo acontece.